sexta-feira, 2 de abril de 2010

Origem do carma...




"- o desejo aliado à ignorância determinam um ato;

- o ato executado produz uma impressão e faz surgir a consciência de um eu;

- impressão e consciência do eu tendem a afirmar a existência individual;

- mas a existência individual não possui outra prova de sua realidade senão os sentidos;

- os sentidos que separam e que ligam provocam o contato com o mundo exterior;

- ora, o contato é gerador de sensação;

- mas não existe nenhuma sensação que não engendre um apetite, quer de prolongá-la, quer de renová-la;

- o apetite visa a incorporação do objeto desejado;

- essa absorção constrói, assim um vir a ser;

- todo vir a ser é criador de um nascimento de estado novo de maneira alguma exatamente semelhante;

- ora, todo nascimento, por sua própria razão de existir, comporta já o sofrimento devido à não-possessão e à perda à degradação pelo envelhecimento e finalmente, ao desaparecimento pela extinção."



Texto de: Maurice Percheron; in; Buda Mito e Realidade de Heródoto Barbeiro
Postar um comentário