domingo, 8 de fevereiro de 2009

O Budismo e o Tempo



Quando nossa mente está alerta tudo pode ser usado para ajudar em nossa prática.


Em casa nós temos uma gata toda branca, que aliás ela quem nos procurou com certa insistência, afinal este ser foi quem nos adotou e não o contrário, uma bola de pelos brancos, bagunçando todo o esquema da casa. - Bem ,vocês vão me perguntar, mas afinal,aonde fica o Budismo e o tempo?

Para nós budistas o tempo praticamente não existe, velho, novo, real, irreal... - O tempo não é contado de maneira linear absoluta, podemos estar aqui com 50 anos e nossa mente em outra dimensão aos três por exemplo.

Voltando à gata aqui de casa o termo da relatividade do tempo é facilmente compreendido. Este pequeno animal tem 6 anos de idade para nós, mas para ela em termos biológicos já é uma senhora de meia idade. Apesar dos 6 ou dos 50 anos, a forma com que esta felina interage com o mundo é o mesmo de quando apareceu aqui em casa com 3 meses de idade. Afinal, qual é o verdadeiro tempo de vida deste animal; 3 meses, 50 ou 6 anos, são todos juntos ou separados, em que tempo ela se apega?

Dei este exemplo para podermos refletir de que a forma como nos sentimos no mundo é o que conta. Um popular Koan Zen já perguntava. “ Qual era a forma do seu rosto antes de seus pais nascerem?”.

Postar um comentário