quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Disciplina


Disciplina é uma palavra não muito compreendida, é na verdade algo que assusta um pouco. Talvez a confusão venha do fato de que disciplina pode ser confundida como castigo, ou limitação de uma atitude ou ideia e é exatamente o contrario deste movimento. Poucas pessoas vêem como libertadora e não inibidora. Sem disciplina tudo ficaria mais distânte e confuso. Desde uma fila num banco até um silêncio numa peça de teatro. A disciplina aperfeiçoa os sentidos. Quando observamos a leveza de uma bailarina nem imaginamos o esforço continuo para atingir aquele movimento, que nos parece até natural e simples, mas é pura dedicação e disciplina. Os músicos tocam incessantemente para aperfeiçoarem suas técnicas, os atores ensaiam ate a exaustão para arrancarem de dentro deles os seres que se transformarão em personagens. A disciplina mostra que a prática constante nos dá a impressão que aquela atitude, - (seja qual for, de preferencia uma atitude responsavel), sempre esteve presente, de que nada é separado tudo faz sentido de maneira leve, harmoniosa, constante. Nada sobrando, nada faltando, tudo encaixado.
O Zazen não foge deste foco. Sentar-se calmamente, sistematicamente, disciplinando mente e corpo, só traz a sensação de que nada falta, nada sobra e tudo se encaixa.
Postar um comentário