terça-feira, 22 de outubro de 2013

O vento e a flauta





Certa tarde de outono o Mestre Ikyyû vagueava pelos campos, levando consigo uma flauta de bambu. Um eremita, ao vê-lo, perguntou-lhe:
Quem és tu?
Sou um peregrino que segue para onde sopra o vento.
Tencionando pôlo-lo em apuros, o eremita perguntou:
E quando o vento não sopra?
Então sopro eu, respondeu Ikyyû começando a soprar sua flauta. 


Texto: Textos Budistas e Zen-buditas de Ricardo M. Gonçalves