terça-feira, 30 de outubro de 2012

Vida



Imagem

  "Nossa vida é um brilho que vem e se vai,
      Como a primavera oferece flores a desvanecer-se na queda sobre a terra, florescer e cair. Ó amigos, não tenham medo.
      Nós somos apenas uma gota de orvalho sobre a grama da manhã! "
                          
                                             Van-Hanh



domingo, 28 de outubro de 2012

Oração da Paz







Ó mestre, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois, é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.

Texto: Apesar deste texto ser atribuído a São Francisco de Assis ele é considerado anônimo. Surgiu no começo do século XX em 1912.
    Para mim não diminui a profundidade desta obra, nem mesmo a atualidade.

Imagem: Banco de Imagenes Gratis .Com

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Nada existe?

  

http://4.bp.blogspot.com/-I4JkKFHGlmA/UE1fprZmdKI/AAAAAAABHEE/sIH7r_7tWXo/s1600/mariposa-butterfly-insectos.jpg

    Yamaoka Teshu quando era um jovem estudante Zen, Passou por vários mestres, até que encontrou Dokuon.
     Na sua primeira entrevista com o novo mestre, resolveu mostrar o quanto já sabia.
    "A mente, Buda, e todos os seres não existem. A verdadeira natureza dos fenômenos  é vazia. Não há realização, nenhum sábio, nenhuma mediocridade. Não Há o que dar e tão pouco o que receber."
    Dokuon que estava fumando pacientemente, não disse nada. Simplesmente, acertou Yamaoka na cabeça com seu longo cachimbo de bambu. O jovem ficou irritadíssimo, gritando xingamentos.
    "Se nada existe de onde veio toda essa sua raiva? , perguntou o mestre."   

Texto do livro: Pocket Zen de Bruno Pacheco
Imagem: Banco de Imagenes Gratis .Com

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Mestre Hobsbaw


 http://www.amambainoticias.com.br/media/images/6379/30955/tmp/wmX-341x256x3-5069d36f2150c854276c2c395d557d8ca5bffc5259def.jpg



   O mundo perde um grande sábio.


"Sabemos que por trás da opaca nuvem de nossa ignorância e da incerteza de resultados detalhados, as forças históricas que moldaram o século continuam a operar. Vivemos um mundo conquistado, desenraizado e transformado pelo titânico processo econômico e tecnocientífico do desenvolvimento do capitalismo que dominou os últimos dois ou três séculos. Sabemos, ou pelo menos é razoável supor, que ele não pode seguir ad infinitum. O futuro não pode ser uma continuação do passado, e há sinais, tanto externamente como internamente, de que chegamos a um ponto de crise histórica. As forças geradas pela economia tecnocientífica são agora suficientemente grandes para destruir o meio ambiente, ou seja as fundações materiais da vida humana. As próprias estruturas das sociedades humanas, incluindo mesmo algumas das fundações sociais da economia capitalista, estão na eminência de serem destruídas pela erosão do que herdamos do passado humano. Nosso mundo corre o risco de explosão e implosão. Tem de mudar".

Hobsbaw, Eric: “A Era dos Extremos”.


obrigado mestre por teus ensinamentos